Capitulo 4: Jogos de Zumbi: Mate ou morra

A rua em frente ao hospital não estava mais tão tomada por infectados como quando Frederico e Marcos partiram de lá, e foi por isso que Frederico respirou fundo e saiu correndo rumo a porta na lateral do prédio, que dava direto para uma escadaria de emergência.

A situação dentro do hospital não era das melhores, haviam corpos mutilados por todos os lados e também vários infectados rondando as salas do local. Para pegar tudo o que seria necessário, e também possível de carregar na mão, Frederico teria que passar por vários locais diferente... ele estava sem arma e sabia que com a falta de algo para se defender seria quase impossível continuar vivo.

De alguma maneira, um grupo de zumbis parecia ter sentido a presença do jovem médico no estreito corredor do terceiro piso, eles se dirigiram como um bando de cachorros em busca de um prato de ração para cima de Frederico, que como em um filme ninja virou e pegou uma bengala que estava jogada no chão para acertar os famintos... foram três ou quatro pauladas em cada um, e cada vez mais ele pegava o jeito, ele se sentia o máximo, se sentia o grande matador, e não conseguia parar de bater nos infectados mesmo quando os mesmos já estava atirados sem vida no chão.

-HAHAHA QUEM MANDA AQUI ABERRAÇÕES!! PODEM VIR, PODEM VIR!

O desejo de matar tomava conta do seu corpo, e como em um jogo violento de vídeo game, ele tentava cada vez matar mais e mais, como se somasse uma pontuação no final de tudo. Ele estava louco, estava falando sozinho... todos os itens necessários para ajudar Anderson já estavam na sua mochila, mas mesmo assim ele continuava andando pelos quartos procurando mais infectados para bater até a morte. A atitude poderia muito bem fazer com que Frederico perdesse a vida, e ele só foi perceber o que estava fazendo após gritar de prazer matando mais e mais... esse tempo foi o suficiente para que todo o piso inferior do hospital ficasse tomado, impedindo a sua saída.

O médico correu para todos os lados, o desespero tomou conta de sua mente, mas realmente todas as saídas estavam obstruídas, e foi ai que ele teve uma brilhante ideia... ou não tão brilhante assim. Ele correu em direção à  janela no quarto 325, ele se jogou, esperando um pouso lindo encima de um caminhão de travesseiros, mas o que realmente aconteceu foi que ele caiu em uma lixeira de restos de comida da cantina do hospital. Naquele momento não havia tempo para pensar nos esfolados no braço e ao forte cheiro de coisa podre no corpo, os infectados estavam indo para sua direção rapidamente, o único lugar para ir era um carro de policia, estacionado a alguns metros dali e com a porta aberta... como em uma corrida de velocidade, Frederico disparou para dentro do carro e se trancou lá.

- Eu sei que tentei não acreditar no senhor meu Deus, mas se o senhor existe esse é o momento para ajudar!

Ao dizer isso, como em um milagre, a luz da lampada do poste da rua se chocou ao reflexivo pingente na forma de um Hylian Shield de The Legend of Zelda que era usada por um dos zumbis que tentavam quebrar a janela do carro., e fez assim visível as chaves do carro sobre o banco traseiro.

- Aew eu sabia que o senhor existia! hahaha!

Com isso Frederico ligou a sirene do carro e partiu para cima de todos os infectados, atropelando todos aqueles que ficassem ao seu caminho. Não tardara muito e ele já estava na delegacia, onde correu para dentro para fazer uma operação em Anderson o mais rápido possível.

...

0 comentários:

Postar um comentário